Hoje, dia 22 de abril, celebra-se o descobrimento do Brasil.

Há 521 anos, os navegadores portugueses avistaram ao longe uma montanha, o Monte Pascal, lá na Bahia. Passados uns dias em terra, resolveram celebrar a primeira Missa, no dia 26 do mesmo mês. Isso é um evento de primeira importância, de uma transcendência que não temos como dimensionar.

Pela primeira vez, a redenção, a vida eterna, veio para o Brasil! Até então, só havia por aqui vida material, humana, biológica. Claro, as almas dos índios eram imortais; mas, sem a redenção de Cristo, obstinadas em seus pecados, estavam condenadas ao inferno.

Agora, porém, com os navegadores portugueses, chega enfim a vida eterna às nossas terras. Quando o frei Henrique de Coimbra ergueu pela primeira vez a hóstia consagrada nas praias da Bahia, Cristo, com o seu sacrifício redentor, disse aos brasileiros o mesmo que diz hoje no Evangelho: “A minha carne dada para a vida do mundo”.

É o sacrifício da Cruz. O Calvário veio até nós, e agora nós podemos, unidos a esse sacrifício de amor de Jesus na Missa, alimentar-nos do pão da vida, da Eucaristia, comer do pão que nos fará viver eternamente com a vida de Deus. Temos, pois, de render graças a Ele!

O descobrimento do Brasil, para historiadores “mundanos” e seculares, pode ser considerado um “triunfo das navegações portuguesas” ou, na avaliação de alguns marxistas, uma “invasão dos europeus” no continente americano.

Dê-se-lhe o nome que se queira… O fato é que, espiritualmente, a Eucaristia é de verdade a entrada da vida eterna! Deus em pessoa, Cristo ressuscitado, pôs os pés em nosso país e veio salvar-nos, veio arrancar-nos das garras do demônio e da perdição.

Por isso, ler o discurso do pão da vida nesta data tão importante é dar-nos conta do quanto fomos agraciados. Cristo na Eucaristia veio até nós e espera de nós uma resposta, uma resposta de mudança de vida, de mentalidade na fé, e de comportamento no nosso dia a dia, observando os Mandamentos de Deus e correspondendo ao amor infinito que Cristo manifestou na santa Cruz.

Que Deus abençoe o nosso país, nos dê a graça de correspondermos à vocação sobrenatural que o Brasil recebeu, ao receber seus primeiros cristãos e a Eucaristia como dom, pão vivo descido do céu.

https://padrepauloricardo.org/episodios/quando-cristo-chegou-ao-brasil