[A “saúde em primeiro lugar” é um princípio moral válido? São Tomás de Aquino condenava a “prudência da carne”, que nos faz esquecer o fim último desta vida].

Um dia, estava eu almoçando com um amigo, também colaborador da Nuova Bussola Quotidiana. Obviamente, falávamos de nossas paixões comuns, a maior das quais é a filosofia de São Tomás de Aquino. A certa altura, meu comensal comentou: «É realmente incrível… Seja lá que assunto for, folheio a Summa Teológica e encontro a resposta. São Tomás realmente escreveu tudo sobre todas as coisas!». De cara, concordei com ele: várias vezes resolvi uma dúvida ou uma questão graças ao meu filósofo preferido. E recentemente tive uma inesperada confirmação do fato.

Estava lendo as recentes declarações do Presidente da Região da Lombardia sobre a “zona laranja”. O político declarou: “Eu sei que é impopular. Eu sei que as pessoas vão ficar com raiva de mim. Mas se tiver de escolher entre as decisões de consenso e as necessárias à saúde, escolherei sempre essas últimas». Declarações em perfeita harmonia com o que o primeiro-ministro Conte havia declarado em outubro passado: “Sempre adotamos uma linha coerente: a proteção da saúde está em primeiro lugar.” Seu sucessor, Mario Draghi, segue a mesma linha: a prioridade do (novo) governo é a proteção da saúde. Parecem, de fato, afirmações de bom senso: prudentes! “Nós escolhemos a saúde, a proteção da saúde vem em primeiro lugar”.

Agora: se é verdade que Santo Tomás disse tudo sobre tudo, ele também deve ter dito algo que nos ajude a avaliar essas afirmações. Claro, a Covid-19 não existia, na época do místico filósofo; mas existiam doenças, e epidemias também. Vamos, então, ver o que ele tem a ensinar.

Abramos a Summa… secunda secundae… quaestio 55, artigo 1… Pimba! “Por prudência da carne entende-se propriamente a de quem considera os bens da carne como o fim último da própria vida. Ora, é evidente que isto é pecado: porque desvia o homem do fim último, que não consiste nos bens do corpo, como mostramos acima. Portanto, a prudência da carne é pecado».

Para usar uma expressão do filósofo Agamben, colocar a “nua vida” em primeiro lugar não é somente triste; é pior. Considerar o bem do corpo em primeiro lugar, antes do culto religioso, antes da vida social, antes do trabalho e da liberdade, é um pecado. Portanto, do ponto de vista moral, seja o ex-primeiro-ministro Conte, seu sucessor Draghi  ou o Presidente da região da Lombardia, estão completamente errados. A posição deles não é prudente, mas pecaminosa.

Bem, aquele meu amigo tinha razão: na Summa estão todas as respostas; São Tomás já escreveu de tudo. O que não compreendo é por que a Summa teológica não seja um best-seller…

https://lanuovabq.it/it/san-tommaso-avrebbe-condannato-il-lockdown