Na semana passada, Jesus anunciou que o reino de Deus está próximo. Nesta semana, com palavras e ações poderosas, Ele exerce Seu domínio, afirmando a sua autoridade real sobre o governante deste mundo, que é Satanás (ver João 12:31).

Observe-se que os acontecimentos narrados hoje ocorrem no sábado. O sábado devia ser um sinal eterno, tanto da aliança amorosa de Deus com Sua criação (ver Êxodo 20: 8-11; 31: 12-17), quanto da libertação que Ele trouxe ao povo eleito, Israel (ver Deuteronômio 6: 12-15).

Neste sábado, Jesus sinaliza uma nova criação: o Santo de Deus veio para purificar Seu povo e livrar o mundo do mal.

“Com um espírito impuro” é a expressão bíblica para um homem possuído pelo demônio, cujo príncipe é Satanás (ver Marcos 3:22). A pergunta dos demônios: “O que queres de nós?” é frequentemente usada em cenas de combate e julgamento do Velho Testamento (ver Juízes 11:12; 1 Reis 17:18).

E como Deus, por Sua Palavra “repreendeu” as forças do caos na criação do mundo (ver Salmos 104: 7; Jó 26: 10-12), e novamente repreendeu o Mar Vermelho para que os israelitas pudessem fazer o seu êxodo (ver Salmo 106: 9), Marcos usa a mesma palavra para descrever o que Jesus fez: repreendeu o demônio (ver Marcos 4:39; Zacarias 3: 2).

Jesus é o profeta predito por Moisés na primeira leitura de hoje (ver Atos 3:22). Embora tenha autoridade sobre o céu e a terra (ver Daniel 7:14, 27; Apocalipse 12:10), Ele se torna um de nossos parentes.

Ele vem para repreender as forças do mal e do caos, e não apenas no mundo, mas em nossas vidas. Deseja nos tornar santos de corpo e espírito, como Paulo diz na epístola de hoje (ver Êxodo 31:12).

Na liturgia deste domingo, ouvimos a Sua voz e “vemos” as Suas obras, conforme cantamos no Salmo. E, como nos recomenda Moisés, devemos ouvi-Lo.

https://stpaulcenter.com/audio/sunday-bible-reflections/the-kings-authority-scott-hahn-reflects-on-the-fourth-sunday-in-ordinary-time/