reconstruindio a Igreja

Como reconstruir a Igreja, quando tudo nela parece cair e em toda parte só se vê ruínas? Imagine-se tal pergunta feita ao cardeal Robert Sarah, que realmente tem as opiniões católicas mais animadoras sobre o assunto.

Há pouco tempo, ele se viu entre as ruínas da Catedral de Notre Dame, em Paris. Os destroços do local lembraram-lhe da situação da Igreja no Ocidente: para reconstruí-la, é preciso primeiro superar nosso medo e nossa inibição de dizer a verdade, a verdade de Deus e de nós mesmos em relação a Ele, as quais parecemos tão covardemente relutantes em proclamar ou defender.

Tornamo-nos, diz ele, “como setas que não estão mais apontadas para Deus …” “As torres do espírito humano”, como ele as chama, tornaram-se como a própria catedral: “aniquiladas e quebradas”. O fogo que devastou Notre Dame, o símbolo sagrado que durante mil anos esteve no coração de Paris, lembra-nos do que realmente importa: ele está, agora, engolindo todo o Ocidente cristão.

“Quer-se reconstruir a Igreja?”, ele pergunta. “Então é preciso ajoelhar!” Somente Deus pode agora nos salvar; e isso só se dá pela adoração. “Deseja-se reconstruir essa outra bela catedral, que é a Igreja Católica?”, ele pergunta novamente. “Fique-se de joelhos!” “Uma catedral”, continua ele, “é antes de tudo um lugar onde os homens podem se ajoelhar (…) onde Deus está presente no Santíssimo Sacramento. A tarefa mais urgente é recuperar o sentimento de adoração! “A sua ausência “é a fonte de todos os incêndios e crises que estão abalando o mundo e a Igreja ”.

Graças a Deus, não se trata de mais um programa ou projeto para produzir mais estruturas. A Igreja não precisa de mais estruturas. Ela não precisa de mais máquinas ou gerentes para operar as máquinas. O que ela precisa é de místicos, santos, homens e mulheres que se apaixonaram por Deus. Porque essa é a única história de amor realmente satisfatória do universo.

A santidade é a solução, portanto.

https://www.ncregister.com/daily-news/on-rebuilding-the-catholic-church