Jesus-Prayer

Embora sejamos “pó e cinza”, podemos tomar a liberdade de nos aproximar e falar corajosamente a Nosso Senhor, como Abraão o fez na primeira leitura desta semana.

Mas mesmo Abraão — o amigo de Deus (Isaías 41, 8), nosso pai na fé (Romanos 4, 12) — não conhecia a intimidade que já temos como filhos de Abraão, herdeiros das bênçãos prometidas a seus descendentes (Gálatas 3, 7-29).

O mistério da oração, como Jesus o revela aos Seus discípulos no Evangelho desta semana, consiste no relacionamento vivo dos filhos e filhas amados com o Pai celestial. Nossa oração é puro dom, possibilitado pela “bondosa dádiva” do Pai — o Espírito Santo de Seu Filho. É o fruto da Nova Aliança, pela qual nos tornamos filhos de Deus em Cristo Jesus (Gálatas 4, 6-7; Romanos 8, 15-16).

Através do Espírito, que nos foi dado no Batismo, podemos invocar a Deus como nosso Pai — sabendo que quando O invocarmos, Ele haverá de responder.

Jesus ensina Seus discípulos a perseverarem na oração, como Abraão persistiu implorando a misericórdia de Deus pelos inocentes de Sodoma e Gomorra.

Por causa de Jesus, o Homem justo, Deus poupou da destruição a cidade do homem (Jeremias 5, 1; Isaías 53), eliminando  as obrigações legais que tínhamos para com Ele, como Paulo diz na epístola desta semana.

Na Cruz, Jesus carregou nossas culpas, cancelou a conta que devíamos a Deus, a morte que merecemos sofrer por nossas transgressões. E por isso que rezamos: por ter sido poupados, visitados em nossa aflição, salvos de nossos inimigos.

Nossa oração é sempre uma oração de ação de graças (que é o significado literal da palavra Eucaristia). É o cumprimento da promessa do Salmo desta semana: “Perante os vossos anjos vou cantar-vos e ante o vosso templo vou prostrar-me”.

Confiantes é que nós pedimos, sabendo que receberemos, que Ele irá completar em nós a obra já iniciada; ou seja, ressuscitando-nos dentre os mortos e conduzindo-nos, enfim, à vida eterna junto Dele.

https://stpaulcenter.com/asked-and-answered-scott-hahn-reflects-on-the-seventeenth-sunday-in-ordinary-time/