Jornalista com crucifixoAntes da minha conversão, acredito que não fosse ateu, mas certamente era agnóstico. Nunca me ocorreu, porém, culpar a figura de Jesus Cristo. Enquanto questionava sua existência, considerava o Evangelho uma mensagem poderosa que, como nenhuma outra, indicava o caminho mais digno para os poderosos, enquanto enobrecia a dor dos que sofriam.

Por que, então, um tipo como o jornalista Michele Serra (que nunca falou uma palavra contra a pornografia, e contra a violência física e mental que se difunde pelas redes de televisão), fica indignado quando a jornalista e apresentadora do Tg2, Marina Nalesso, exibe um crucifixo durante o noticiário?

O que esse símbolo representa de tão terrível?

Não estamos falando simplesmente de padres, mas daquela mensagem que, ao estruturar a forma mentis européia, permitiu que a sociedade ocidental se tornasse a comunidade mais frutífera do planeta. Basta pensar no desenvolvimento das ciências, da medicina, das artes, da filosofia, da teologia. Aliviou a vida humana através dos direitos humanos e, materialmente, com invenções como óculos, a imprensa, o livro, o carro, o avião, etc.

Tudo isso é resultado daquela doutrina que, graças ao conceito cristão de compaixão, criou riquezas a partir dos primeiros monges beneditinos. Foi a compaixão, o amor e o respeito ao próximo que moveram as mentes mais brilhantes a inventar e construir coisas para o bem-estar da comunidade, algo inimaginável no mundo confuciano, taoísta, muçulmano, hindu ou budista. Por exemplo, os hospitais: como os entendemos hoje, foram criados por monges no século IV. E eles não faziam disso um negócio, como os ateus.

Então, por que algumas pessoas são tão alérgicas ao crucifixo? Foi Jesus quem ensinou os métodos mais apropriados de massacrar indefesos? Foi Ele quem promoveu revoluções, aconselhando o uso de guilhotinas para aterrorizar e impor respeito às populações ignorantes? Jesus Cristo terá escrito algum manual de introdução à guerra, ensinando a matar um número infinito de inocentes? Deixou por escrito instruções sobre como empobrecer milhões de ucranianos e fazê-los morrer de fome com suas mulheres e crianças? Terá Ele estimulado a perseguição de raças não-arianas? Sugeriu a construção de gulags soviéticos, laogai chineses, campos de concentração, campos de reabilitação e fornos crematórios?

Acho que estou confundindo o filme… As desumanidades mencionadas, como sabemos, não fazem parte das bem-aventuranças, mas das ideologias que o ateísmo pôs em prática. Esse ateísmo que, ainda hoje, é ostentado como uma bandeira por indivíduos carentes de empatia, ignorantes e teimosos.

http://www.marcotosatti.com/2019/06/20/marina-nalesso-e-il-crocefisso-un-commento-di-agostino-nobile/