Pentecostes

Para ouvir a homilia do Padre Paulo Ricardo, “Nem materialistas, nem panteístas: católicos!”, clicar AQUI. Nem o materialismo que reduz o homem a pó, nem o panteísmo que tudo diviniza: o Deus verdadeiro é um só, em três Pessoas realmente distintas, Pai, Filho e Espírito Santo, e quer nos fazer participar de sua vida divina… Mas como isso se dá? O que nos ensina a Igreja sobre o ser humano, a sua salvação e santificação? Na homilia deste domingo de Pentecostes, Padre Paulo Ricardo apresenta com clareza a doutrina católica a esse respeito, convidando os que somos membros do mesmo Corpo a crescer em fé e em caridade.

 

O VENTO IMPETUOSO DO ESPÍRITO – Meditação de Scott Hahn sobre o Domingo de Pentecostes

O derramamento do Espírito Santo sobre o novo povo de Deus coroa os poderosos atos do Pai na história da salvação.

A festa judaica de Pentecostes convocava todos os judeus devotos a Jerusalém, para celebrar o nascimento de Israel como povo escolhido de Deus, na aliança da Lei dada a Moisés no Sinai (Levítico 23, 15-21; Deuteronômio 16, 9-11).

Na primeira leitura de hoje, os mistérios prefigurados nessa festa cumprem-se no derramamento do Espírito sobre Maria e os apóstolos (Atos 1,14).

O Espírito sela a nova lei e a nova aliança trazida por Jesus, escrita não em tábuas de pedra, mas no coração dos crentes, como os profetas prometeram (2 Coríntios 3, 2-8; Romanos 8, 2)

O Espírito é revelado como o sopro vivificante do Pai, a Sabedoria pela qual Ele fez todas as coisas, como cantamos no Salmo de hoje. No princípio, o Espírito veio como um “vento poderoso” pairando sobre a face da terra (Gênesis 1, 2). E na nova criação de Pentecostes, o Espírito novamente vem como “um vento forte e impetuoso” para renovar a face da terra.

Assim como Deus fez o primeiro homem do pó e o encheu do Seu Espírito (Gênesis 2, 7), no Evangelho de hoje vemos o Novo Adão tornar-se um Espírito vivificante, dando nova vida aos Apóstolos (1 Coríntios 15, 45. 47).

Como um rio de água viva para todas as épocas, Ele derramará o Espírito sobre Seu corpo, a Igreja, como ouvimos na epístola de hoje (ver também João 7, 37-39).

Nós recebemos esse Espírito nos sacramentos, transformados em  novas criaturas pelo Batismo (2 Coríntios 5,17; Gálatas 6,15). Bebendo do mesmo Espírito na Eucaristia (1 Coríntios 10, 4), nós somos os primeiros frutos de uma nova humanidade, composta de todas as nações sob o céu, sem distinção de riqueza, língua ou raça: um povo nascido do Espírito.

https://stpaulcenter.com/a-mighty-wind-scott-hahn-reflects-on-pentecost-sunday/