Cristo e os apóstolos - Ducio

Para ouvir a homilia do Padre Paulo Ricardo, “O Espírito Santo vos ensinará tudo”, clicar AQUI. Não há dúvida de que Cristo Senhor, sendo a Palavra eterna de Deus feito carne, foi um professor perfeitíssimo, um pedagogo irretocável, e que ensinou a seus discípulos a doutrina celeste como ninguém jamais seria capaz de fazer. Mesmo assim, Ele diz no Evangelho deste domingo que será o Espírito Santo, e não Ele, a lhes ensinar e recordar tudo, conduzindo-os à plena verdade. O que isso significa, na prática, é o que Padre Paulo Ricardo explica nesta homilia, já em clima de preparação para Pentecostes.

 

O PRIMEIRO CONCÍLIO DA IGREJA (Meditação de Scott Hahn)

O primeiro Concílio da Igreja, o Concílio de Jerusalém, sobre o qual ouvimos na primeira leitura de hoje, decidiu a perfil da Igreja tal como a conhecemos hoje.

Alguns cristãos judeus queriam que os pagãos convertidos fossem circuncidados e obedecessem a todas as complicadas leis ritualísticas dos judeus.

O Concílio chamou isto de heresia, novamente nos mostrando que a Igreja, no plano divino, devia ser uma família de Deus sem fronteiras, e não mais uma aliança com uma única nação.

A Liturgia de hoje fornece-nos uma profunda meditação sobre a natureza e o significado da Igreja.

A Igreja é una, como vemos na primeira leitura: “…os apóstolos [bispos] e os presbíteros [sacerdotes], em concordância com toda a Igreja [os leigos]”.

A Igreja é santa, instruída e guiada pelo Espírito, que Jesus havia prometido aos Apóstolos no Evangelho.

A Igreja é católica, ou universal, tornando conhecidos a todos os povos os caminhos de salvação desejados por Deus (que a todos governa com retidão, como cantamos no Salmo de hoje).

E a Igreja, tal como João a viu na Segunda Leitura, é apostólica, fundada sobre os Doze Apóstolos do Cordeiro.

Vemos, todas essas características da Igreja, sempre ressaltadas na história dos concílios.

Note-se que todos, incluindo Paulo, veem “Jerusalém [e] os Apóstolos” como pontos de referência, ao escolherem o verdadeiro ensinamento da Igreja. Os apóstolos, por sua vez, deixam subentendido que os catequizadores cristãos precisam de um mandato deles para ensinar.

Vemos o Espírito Santo guiando os apóstolos em toda a verdade. Observe-se como eles descrevem a sua decisão: “…porque decidimos, o Espírito Santo e nós…”.

Conhecendo estas verdades sobre a Igreja, nossos corações jamais se inquietarão. A mensagem da Liturgia de hoje é que a Igreja é do Senhor, cuidada e defendida pelo Advogado, o Espírito Santo, enviado pelo Pai em nome do Filho.

Isso deve nos encher de confiança, deixando-nos livres para adorar com exultação; inspirando-nos a dedicar nossas vidas ao Seu Nome; amando a Jesus no cumprimento de Sua Palavra; e alegrando-nos com o fato de que Ele e o Pai, através do Espírito, fizeram a Sua morada em nós.

https://stpaulcenter.com/counsel-of-jerusalem-scott-hahn-reflects-on-the-sixth-sunday-of-easter/

 

PRIMEIRA LEITURA DA MISSA (Atos dos apóstolos 15,1-2.22-29)

O Espírito Santo e nós decidimos

Naqueles dias, chegaram alguns da Judeia e ensinavam aos irmãos de Antioquia, dizendo: “Vós não podereis salvar-vos, se não fordes circuncidados, como ordena a Lei de Moisés”.

Isto provocou muita confusão, e houve uma grande discussão de Paulo e Barnabé com eles. Finalmente, decidiram que Paulo, Barnabé e alguns outros fossem a Jerusalém, para tratar dessa questão com os apóstolos e os anciãos.

Então os apóstolos e os anciãos, de acordo com toda a comunidade de Jerusalém, resolveram escolher alguns da comunidade para mandá-los a Antioquia, com Paulo e Barnabé. Escolheram Judas, chamado Bársabas, e Silas, que eram muito respeitados pelos irmãos.

Através deles enviaram a seguinte carta: “Nós, os apóstolos e os anciãos, vossos irmãos, saudamos os irmãos vindos do paganismo e que estão em Antioquia e nas regiões da Síria e da Cilícia. Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbações com palavras que transtornaram vosso espírito. Eles não foram enviados por nós.

Então decidimos, de comum acordo, escolher alguns representantes e mandá-los até vós, junto com nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo, homens que arriscaram suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, estamos enviando Judas e Silas, que pessoalmente vos transmitirão a mesma mensagem. Porque decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além destas coisas indispensáveis: abster-se de carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, das carnes de animais sufocados e das uniões ilegítimas. Vós fareis bem se evitardes essas coisas. Saudações!”

 

SALMO 66

O Espírito governa os povos com retidão

(Antífona): Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem!

 — Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção,/ e sua face resplandeça sobre nós!/ Que na terra se conheça o seu caminho/ e a sua salvação por entre os povos.

— Exulte de alegria a terra inteira,/ pois julgais o universo com justiça;/ os povos governais com retidão,/ e guiais, em toda a terra, as nações.

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,/ que todas as nações vos glorifiquem!/ Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe,/ e o respeitem os confins de toda a terra!

 

SEGUNDA LEITURA DA MISSA (Apocalipse 21, 1-5a)

A Igreja fundada sobre os Apóstolos do Cordeiro

 Um anjo me levou em espírito a uma montanha grande e alta. Mostrou-me a cidade santa, Jerusalém, descendo do céu, de junto de Deus, brilhando com a glória de Deus. Seu brilho era como o de uma pedra preciosíssima, como o brilho de jaspe cristalino.

Estava cercada por uma muralha maciça e alta, com doze portas. Sobre as portas estavam doze anjos, e nas portas estavam escritos os nomes das doze tribos de Israel.

Havia três portas do lado do oriente, três portas do lado norte, três portas do lado sul e três portas do lado do ocidente.

A muralha da cidade tinha doze alicerces, e sobre eles estavam escritos os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.

Não vi templo na cidade, pois o seu Templo é o próprio Senhor, o Deus Todo-poderoso, e o Cordeiro. A cidade não precisa de sol nem de lua que a iluminem, pois a glória de Deus é a sua luz, e a sua lâmpada é o Cordeiro.

 

EVANGELHO (São João 14,23-29)

O Espírito vos ensinará tudo

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. Quem não me ama, não guarda a minha palavra. E a palavra que escutais não é minha, mas do Pai que me enviou.

Isso é o que vos disse enquanto estava convosco. Mas o Defensor, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito.

Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração.

Ouvistes o que eu vos disse: ‘Vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. Disse-vos isso, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis”.