[The Washigton Post,17 de Julho de 1988]. A Igreja Ortodoxa Russa, em todo o mundo, celebra seu milênio neste mês, em um momento em que o regime soviético parece cada vez mais disposto a permitir a liberdade de culto em suas fronteiras. Mas é importante compreender o motivo dessa súbita tolerância: o governo só confia na hierarquia da igreja soviética, pois ela é efetivamente controlada pela KGB.

A evidência de que a igreja é infiltrada pela KGB vem da minha própria experiência como agente da inteligência da KGB. Entre outros jovens oficiais, alguns anos atrás me ofereceram um lugar na Academia Espiritual da igreja, uma universidade que está ligada à sua sede em Zagorsk, nos arredores de Moscou. Este lugar especial na academia (proveniente de uma cota da KGB, sem o habitual e competitivo exame de admissão) oferece uma “carreira esplêndida” na hierarquia da igreja e substanciais benefícios materiais. Recusei, mas não faltaram voluntários.

Não há como saber exatamente quantos membros da hierarquia da igreja estão, hoje, associados à KGB, mas há poucas dúvidas de que ela controla as atividades mais importantes da hierarquia da igreja.

Compreender a relação secreta da KGB com a igreja é importante, neste momento, quando são relativamente poucas as queixas sobre a suposta supressão da religião na União Soviética. Contudo, essa visão ingênua não deve ser levada a sério, pois a igreja, lá, não é um corpo independente; e uma das tragédias dessa situação é que milhões de cristãos honestos, na União Soviética, não sabem com quem estão se confessando.

O dilema que enfrenta o regime soviético, hoje em dia, é como manter sob controle a igreja sem parecer violar grosseiramente os direitos humanos de seus membros. Para saber como os soviéticos realizaram essa tarefa complicada, precisamos olhar para a história, que revela quatro tendências principais na relação entre o governo e a igreja desde a revolução de 1917 até o presente:

  1. Eliminação dos líderes. A primeira tendência, que começou imediatamente após a revolução, foi marcada por extrema brutalidade. A igreja, dentro do país, perdeu praticamente toda a sua liderança. A maioria de seus líderes foi assassinada ou levada ao exílio. As contas diferem, mas pelo menos 6.000 padres foram assassinados nos primeiros 18 meses após a revolução bolchevique.
  2. Pressão sobre os fiéis. A segunda tendência envolvia ações mais sofisticadas. Durante esse período, desde o início da década de 20 até o início da década de 40, todas as propriedades da igreja foram desapropriadas. Na melhor das hipóteses, qualquer pessoa que demonstrasse abertamente sua fé era punida com um emprego inferior. Simultaneamente, uma poderosa campanha de propaganda negativa estava acontecendo contra a igreja, com uso intenso de desinformação.
  3. Coexistência pacífica. A terceira tendência, de meados dos anos 50 até meados dos anos 80, foi marcada por uma relativa tolerância. O governo se reconciliou com a existência da igreja e, de tempos em tempos, elogiou seu papel no movimento pela paz mundial.
  4. Aparente sustentação. A quarta tendência, que começou recentemente, surpreendeu a maioria dos observadores. O governo soviético parecia, de repente, estar apoiando a igreja ao comemorar seu milésimo aniversário. A União Soviética parecia, como dizia a CNN, “orgulhosa de sua igreja e de sua história de mil anos”.

Precisamos analisar essa história com cuidado. Duas coisas que não podemos negar, nos comunistas, são a lógica e a razão. Moral, humanismo, inteligência — essas qualidades podem estar ausentes da história comunista. Mas lógica e razão, não. Qual era, então, a lógica e a razão por trás da aparente mudança de atitude de Mikhail Gorbachev em relação à igreja?

Para responder a essa pergunta, precisamos entender a importância que os comunistas atribuem aos sistemas de crença, seja uma religião ou uma ideologia.

Lênin percebeu imediatamente, após a revolução, que ele não poderia competir, com a igreja, em ideologia ou credibilidade junto ao povo. A única solução que ele viu foi a destruição da igreja., em consonância com o slogan comunista: “Se o inimigo não se render, ele deve ser destruí-lo”. Foi exatamente o que os comunistas fizeram. Uma igreja, porém, com uma congregação de muitos milhões de fiéis, não podia ser esmagada da noite para o dia. Portanto, a destruição devia começar pelas lideranças da igreja.

O próximo passo foi dissuadir a congregação ortodoxa — o povo russo, em outras palavras — de participar de qualquer expressão aberta de fé. Para conseguir isso, o regime oferecia ao povo uma escolha difícil: exibia publicamente a fé e morria de fome ou reprimia a fé para sobreviver.

Esse tipo de tática derrubou a árvore da Igreja Ortodoxa na União Soviética, mas as suas raízes permaneceram. A fé, mesmo quando oculta da vista, provou ser indestrutível, o que era uma péssima notícia para a festa… O regime percebeu que, em vez de destruí-lo, só tinha conseguido abafar o cristianismo. E, para as autoridades soviéticas — cujo maior medo era sempre o povo — essa expressão secreta e privada da religião era ainda mais perigosa.

Foi então que as autoridades soviéticas resolveram o problema com uma técnica típica da KGB: infiltrar-se no objeto visado e controlá-lo desde dentro, fazendo com que a organização controlada se torne apenas uma miragem, uma ilusão do que realmente é.

A infiltração foi feita pelos métodos tradicionais da KGB. A polícia secreta recrutou uma rede de informantes, principalmente pela força ou através de ameaças. No entanto, um subproduto vantajoso desta operação foi que semeou desconfiança entre o clero e os fiéis (a existência de informantes da KGB, afinal de contas, não era nenhum segredo para as pessoas).

Contudo, a festa não poderia estar completa só com esse vago sistema de informantes e agentes. Os informantes não eram totalmente confiáveis. Então, o próximo passo foi a infiltração, na igreja, de oficiais confiáveis da KGB, um processo que começou, o mais tardar, em meados dos anos 50. O programa foi supervisionado pelo que hoje é conhecido como a Quinta Diretoria da KGB (responsável pela ideologia), com o apoio da Segunda Diretoria (que lida com a contra-inteligência). No final dos anos 80, a igreja havia sido totalmente infiltrada. A miragem de igreja já estava construída.

A KGB tem preferência esse tipo de infiltração, que é mais poderosa, pois lhe permite construir uma rede interconectada em constante expansão, que pode ser utilizada para checar cada fragmento de informação e criar um bem elaborado mosaico de mentiras.

O trabalho de infiltração forneceu mais um benefício à KGB, mais especificamente, à sua primeira Diretoria Principal, responsável pela inteligência estrangeira. Descobriu-se que a igreja oferecia aos oficiais da KGB um bom disfarce para atividades de espionagem no exterior. Sua maior queixa era que o número de cargos disponíveis não era suficiente para suas necessidades.

Gostaria de enfatizar que a Igreja Ortodoxa Russa, sediada na União Soviética, é totalmente diferente da Igreja Ortodoxa Russa fora da Rússia. Essa última, que se tornou independente pela encíclica do Patriarca Tikhon, em 1920, era inicialmente composta por cristãos russos que emigraram durante a Revolução de 1917. Essa igreja tornou-se um alvo importante para a inteligência soviética; nela, a KGB conseguiu provocar alguns danos, mas essa igreja no exterior está fazendo o possível para combater o comunismo e salvar o cristianismo russo.

Infelizmente, ainda há poucos como nós, os que podemos, no mundo livre,  ajudar os milhões de crentes e os muitos sacerdotes honestos da União Soviética. Mas, pelo menos, podemos recusar aos comunistas e à KGB o benefício de aceitar a miragem de igreja que eles criaram, olhando com o necessário ceticismo para seus esforços contínuos de controlar a livre expressão religiosa na União Soviética.

(Victor Orlov é pseudônimo de um ex-oficial da KGB que recebeu asilo político nos Estados Unidos antes da Perestroika).

https://www.washingtonpost.com/archive/opinions/1988/07/17/putting-the-kgb-in-a-cassock-why-moscow-is-infiltrating-the-soviet-orthodox-church/98c4041d-95cc-445a-85f4-527488094996/?utm_term=.84510cd3b842