Para ouvir a homilia do Padre Paulo Ricardo, “Dois rios de misericórdia”, clicar AQUI. Na famosa visão que Santa Faustina teve de Jesus Misericordioso, cuja festa celebramos neste domingo, vemos dois rios saírem de seu Coração: um branco e outro vermelho. A partir do Evangelho, Padre Paulo Ricardo medita nesta homilia sobre o significado desses dois rios de misericórdia, com os quais Cristo quer, por um lado, nos perdoar e, por outro, nos unir ao seu mistério pascal. 

 

UM SOPRO DE VIDA NOVA (Meditação de Scott Hahn)

O profeta Daniel numa visão viu “Alguém semelhante ao Filho do Homem” receber realeza eterna (Daniel 7, 9-14). João é levado para o céu na segunda leitura de hoje, onde ele vê a profecia de Daniel cumprida em Jesus, que aparece como “Alguém semelhante ao Filho do Homem”.

Jesus está vestido com o manto de um Sumo Sacerdote (Êxodo 28, 4; Sabedoria 18, 24) e usando a faixa dourada de um rei (1 Macabeus 10, 89). Ele foi exaltado pela destra do Senhor, como cantamos no Salmo de hoje.

Seu corpo ressuscitado, que os Apóstolos tocam no evangelho de hoje, foi transformado em um Espírito vivificador (1 Coríntios 15, 45).

Como o Pai O ungiu com o Espírito e o poder (Atos 10, 38), Jesus derrama aquele Espírito sobre os Apóstolos, enviando-os ao mundo “como o Pai Me enviou”.

Jesus “sopra” o Espírito de Sua vida divina nos Apóstolos — como Deus soprou o “hálito de vida” em Adão (Gênesis 2, 7), como a oração de Elias devolveu “o sopro de vida” à criança morta (1 Reis 17, 21-23), e como o Espírito soprou vida nova aos mortos no vale dos ossos (Ezequiel 37, 9–10).

Seu sopro criador une os Apóstolos — Sua Igreja — ao Seu corpo, e os capacita a soprar Sua vida em um mundo agonizante, para torná-lo uma nova criação.

No Evangelho e na Primeira Leitura de hoje, vemos os apóstolos cumprindo essa missão com poderes que somente Deus possui – o poder de perdoar pecados e de operar “sinais maravilhosos”, uma expressão bíblica usada apenas para descrever as poderosas obras de Deus (Êxodo 7, 3; 11,10; Atos 7, 36).

Tomé e os outros viram “muitos outros sinais” depois que Jesus ressuscitou dos mortos. Eles viram e acreditaram. Eles receberam a Sua vida, que continua na Palavra e nos sacramentosnda Igreja, para que nós, que não vimos, possamos herdar Suas bênçãos e “ter vida em Seu nome”.

https://stpaulcenter.com/breath-of-new-life-scott-hahn-reflects-on-the-second-sunday-of-easter/

 

PRIMEIRA LEITURA DA MISSA (Atos dos apóstolos 5, 12-16)

Sinais e maravilhas da Igreja nascente

Muitos sinais e maravilhas eram realizados entre o povo pelas mãos dos apóstolos. Todos os fiéis se reuniam, com muita união, no Pórtico de Salomão. Nenhum dos outros ousava juntar-se a eles, mas o povo estimava-os muito. Crescia sempre mais o número dos que aderiam ao Senhor pela fé; era uma multidão de homens e mulheres. Chegavam a transportar para as praças os doentes em camas e macas, a fim de que, quando Pedro passasse, pelo menos a sua sombra tocasse alguns deles. A multidão vinha até das cidades vizinhas de Jerusalém, trazendo doentes e pessoas atormentadas por maus espíritos. E todos eram curados.

 

SALMO 117

Ação de graças pela Igreja que Jesus fundou

(Antífona): Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!”

— A casa de Israel agora o diga:/ “Eterna é a sua misericórdia!’/ A casa de Aarão agora o diga:/ “Eterna é a sua misericórdia!”/ Os que temem o Senhor, agora o digam:/ “Eterna é a sua misericórdia!”

— “A pedra que os pedreiros rejeitaram/ tornou-se agora a pedra angular./ Pelo Senhor é que foi feito tudo isso:/ Que maravilhas ele fez a nossos olhos!/ Este é o dia que o Senhor fez para nós,/ Alegremo-nos e nele exultemos!

— Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação,/ ó Senhor,/ dai-nos também prosperidade!”/ Bendito seja,/ em nome do Senhor,/ aquele que em seus átrios vai entrando!/ Desta casa do Senhor vos bendizemos./ Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine!

 

SEGUNDA LEITURA DA MISSA (Apcalipse 1,9-11a.12-13.17-19)

Jesus, sumo sacerdote da Igreja Católica

Eu, João, vosso irmão e companheiro na tribulação, e também no reino e na perseverança em Jesus, fui levado à ilha de Patmos, por causa da Palavra de Deus e do testemunho que eu dava de Jesus. No dia do Senhor, fui arrebatado pelo Espírito e ouvi atrás de mim uma voz forte, como de trombeta, qual dizia: “O que vais ver, escreve-o num livro”. Então voltei-me para ver quem estava falando; e ao voltar-me, vi sete candelabros de ouro. No meio dos candelabros havia alguém semelhante a um “filho de homem”, vestido com uma túnica comprida e com uma faixa de ouro em volta do peito. Ao vê-lo, caí como morto a seus pés, mas ele colocou sobre mim sua mão direita e disse: “Não tenhas medo. Eu sou o Primeiro e o Último, aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para sempre. Eu tenho a chave da morte e da região dos mortos. Escreve pois o que viste, aquilo que está acontecendo e que vai acontecer depois”.

 

EVANGELHO (São João 20, 19-31)

Jesus, Nosso Senhor e nosso Deus

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.

Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.

Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”

Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.