Para ouvir a homilia do Padre Paulo Ricardo, “Permanecei no meu amor”, clicar AQUI

PRIMEIRA LEITURA DA MISSA (Atos dos Apóstolos At 10, 25-26.34-35.44-48)

 O amor de Deus não faz distinção entre as pessoas

Quando Pedro estava para entrar em casa, Cornélio saiu-lhe ao encontro, caiu a seus pés e se prostrou. Mas Pedro levantou-o, dizendo: “Levanta-te. Eu também sou apenas um homem”.

Então, Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença”.

Pedro estava ainda falando, quando o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a palavra.

Os fiéis de origem judaica, que tinham vindo com Pedro, ficaram admirados de que o dom do Espírito Santo fosse derramado também sobre os pagãos. Pois eles os ouviam falar e louvar a grandeza de Deus em línguas estranhas. Então Pedro falou: “Podemos, por acaso, negar a água do batismo a estas pessoas que receberam, como nós, o Espírito Santo?”

E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Eles pediram, então, que Pedro ficasse alguns dias com eles.

 

SALMO 21

Todas as nações são convidadas a amar

(Antífona): O Senhor fez conhecer a salvação e revelou sua justiça às nações.

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.

Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

 

SEGUNDA LEITURA DA MISSA (1João 4,7-10)

Foi Deus quem nos amou primeiro

Caríssimos: Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus. Quem não ama, não chegou a conhecer a Deus, pois Deus é amor.

Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós: Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele.

Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados.

 

EVANGELHO (São João 15,9-17)

Permanece no Amor quem guarda os mandamentos

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. Eu vos disse isso, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena.

Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai.

Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que então pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”.

 

 GERADOS PELO AMOR (Comentário de Scott Hahn)

Deus é amor. E revelou seu amor enviando seu único Filho como vítima da expiação pelos nossos pecados (v. 1Jo 4,10).

Nestas palavras da epístola de hoje, podemos ouvir o eco da narrativa de Abraão oferecendo seu filho Isaac, na aurora da história da salvação. Abraão obedeceu ao mandamento de Deus; e por não ter recusado a Ele o seu único filho, Deus prometeu-lhe que, por sua descendência (que são os filhos de Israel), seriam abençoadas todas as nações da terra (v. Gn 22,16-18).

Vemos cumprida essa promessa na primeira leitura deste domingo. Deus derrama seu Espírito sobre os gentios, os não-israelitas, enquanto ouvem a pregação de São Pedro. Eles recebem o Espírito como o receberam os judeus reunidos em Jerusalém no dia de Pentecostes; e eles falam em línguas glorificando a Deus (v. At 2, 5-11)

Em seu amor sempre presente, Deus revela que a salvação que ele nos dá inclui a casa de Israel e todas as nações. Não é pela circuncisão, nem por levar nas veias o sangue de Abraão, que os povos se tornam herdeiros da promessa feita a ele por Deus, mas pela fé na Palavra de Cristo, selada com o Batismo. (v. Ga 3, 7-9; Ef 2,12)

Esta é a maravilha operada por Deus que cantamos no salmo responsorial. É a obra da Igreja, o bom fruto para o qual Jesus escolheu e destinou seus apóstolos, segundo o Evangelho deste domingo.

Como São Pedro levantou Cornélio na leitura de hoje, a Igreja nos convida a elevar nossos olhos a Cristo, o único em cujo nome podemos encontrar a salvação. (v. At  4,12)

Na Igreja, cada um de nós foi gerado pelo amor de Deus. No entanto, as leituras deste domingo nos lembram que esse dom divino traz consigo um mandamento e um dever. Nós temos que amar uns aos outros como Ele nos amou. Temos que dar nossas vidas aos outros, para que eles também se tornem amigos de Cristo e, através Dele, encontrem uma nova vida.

paulcenter.com/engendrados-por-amor-scott-hahn-reflexiona-sobre-el-6o-domingo-de-pascua/

https://stpaulcenter.com/begotten-by-love-scott-hahn-reflects-on-the-sixth-sunday-of-easter/