Para ouvir a homilia do Padre Paulo Ricardo, “Jesus nos liberta do poder de Satanás”, clicar aqui

1. PRIMEIRA LEITURA DA MISSA (Deuteronômio 18,15-20)

O poder da Palavra de Deus

Moisés falou ao povo dizendo: “O Senhor teu Deus fará surgir para ti, da tua nação e do meio de teus irmãos, um profeta como eu: a ele deverás escutar. Foi exatamente o que pediste ao Senhor teu Deus, no monte Horeb, quando todo o povo estava reunido, dizendo: ‘Não quero mais escutar a voz do Senhor meu Deus, nem ver este grande fogo, para não acabar morrendo’.

Então o Senhor me disse: ‘Está bem o que disseram. Farei surgir para eles, do meio de seus irmãos, um profeta semelhante a ti. Porei em sua boca as minhas palavras e ele lhes comunicará tudo o que eu lhe mandar. Eu mesmo pedirei contas a quem não escutar as minhas palavras que ele pronunciar em meu nome. Mas o profeta que tiver a ousadia de dizer em meu nome alguma coisa que não lhe mandei ou se falar em nome de outros deuses, esse profeta deverá morrer’”.

2. SALMO 94

Oxalá ouvísseis hoje a Sua voz

(Antífona): Não fecheis o coração, ouvi hoje a voz de Deus!

Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos o Rochedo que nos salva! Ao seu encontro caminhemos com louvores, e com cantos de alegria o celebremos!

Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: “Não fecheis os corações como em Meriba, como em Massa, no deserto, aquele dia, em que outrora vossos pais me provocaram, apesar de terem visto as minhas obras”.

3. SEGUNDA LEITURA DA MISSA (1Coríntios 7, 32-35)

A santificação de todos os súditos do Reino

Irmãos: Eu gostaria que estivésseis livres de preocupações. O homem não casado é solícito pelas coisas do Senhor e procura agradar ao Senhor.

O casado preocupa-se com as coisas do mundo e procura agradar à sua mulher e, assim, está dividido. Do mesmo modo, a mulher não casada e a jovem solteira têm zelo pelas coisas do Senhor e procuram ser santas de corpo e espírito. Mas a que se casou preocupa-se com as coisas do mundo e procura agradar ao seu marido.

Digo isto para o vosso próprio bem e não para vos armar um laço. O que eu desejo é levar-vos ao que é melhor, permanecendo junto ao Senhor, sem outras preocupações. 

4. EVANGELHO (São Marcos 1,21-28)

O poder do Rei

Na cidade de Cafarnaum, num dia de sábado, Jesus entrou na sinagoga e começou a ensinar.

Todos ficavam admirados com o seu ensinamento, pois ensinava como quem tem autoridade, não como os mestres da Lei.

Estava então na sinagoga um homem possuído por um espírito mau. Ele gritou: “Que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus”.

Jesus o intimou: “Cala-te e sai dele!”

Então o espírito mau sacudiu o homem com violência, deu um grande grito e saiu. E todos ficaram muito espantados e perguntavam uns aos outros: “O que é isto? Um ensinamento novo dado com autoridade: Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem!”

E a fama de Jesus logo se espalhou por toda a parte, em toda a região da Galileia.

 

A AUTORIDADE DO REI (Comentário de Scott Hahn)

Na semana passada, Jesus anunciou que o Reino de Deus está próximo. Este domingo, com façanhas e palavras poderosas, ele exerce seu domínio: reafirma sua autoridade real sobre o senhor deste mundo, Satanás (v. Jo 12, 31).

Sabe-se que os eventos descritos neste domingo ocorrem no sábado. O sábado deveria ser um sinal perene, tanto da aliança amorosa de Deus com a sua criação (v. Ex 20, 8-11), quanto do fim da escravidão que Ele obteve para o povo da aliança, Israel (v. Dt 6, 12-15).

Nesse sábado, Jesus indica uma nova criação: o Santo veio para purificar seu povo e libertar o mundo do mal. A expressão “com um espírito impuro”, na linguagem bíblica, refere-se a um homem possuído por um demônio, sendo Satanás o príncipe dos demônios (v. Mc 3, 22).

A pergunta dos demônios, “O que temos a ver contigo?”, é usada frequentemente em cenas de combate e julgamento no Antigo Testamento (v. Jz 11,12; 1R 17,18).

E assim como Deus, por seu poder, “repreendeu” as forças do caos na criação do mundo (v. Sl 104, 7; Jó 26, 10-12); e novamente repreendeu o Mar Vermelho para que os israelitas pudessem realizar o seu êxodo (v. Sl 106, 9), Jesus repreende os demônios, de acordo com a expressão usada por Marcos para descrever essa ação (v. Mc 4,39; Zc 3,2).

Jesus é o profeta predito por Moisés na primeira leitura deste domingo (v. Atos 3, 22). Embora tenha autoridade sobre os céus e a terra (v. Dn 7, 14-27, Ap 12, 10), ele se torna um dos nossos.

Ele vem para repreender as forças do mal e do caos, não apenas no mundo, mas em nossas vidas. Ele quer nos tornar santos em corpo e espírito, como diz São Paulo na epístola deste domingo (v. Ex 31,12).

Na liturgia dominical, ouvimos sua voz e “vemos” suas obras, conforme cantamos no salmo. E, como Moisés nos diz, devemos ouvi-Lo.

https://stpaulcenter.com/la-autoridad-del-rey-scott-hahn-reflexiona-sobre-el-4o-domingo-de-tiempo-ordinario/

https://stpaulcenter.com/the-kings-authority-scott-hahn-reflects-on-the-fourth-sunday-in-ordinary-time/