1. PRIMEIRA LEITURA DA MISSA (ISAÍAS 63 E 64)

Pai, somos obras de tuas mãos

Senhor, tu és nosso Pai, nosso redentor; eterno é o teu nome. Como nos deixaste andar longe de teus caminhos e endureceste nossos corações para não termos o teu temor? Por amor de teus servos, das tribos de tua herança, volta atrás. Ah! se rompesses os céus e descesses! As montanhas se desmanchariam diante de ti. Desceste, pois, e as montanhas se derreteram diante de ti. Nunca se ouviu dizer nem chegou aos ouvidos de ninguém, jamais olhos viram que um Deus, exceto tu, tenha feito tanto pelos que nele esperam. Vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria, de quem se lembra de ti em teus caminhos. Tu te irritaste, porque nós pecamos; é nos caminhos de outrora que seremos salvos. Todos nós nos tornamos imundície, e todas as nossas boas obras são como um pano sujo; murchamos todos como folhas, e nossas maldades empurram-nos como o vento. Não há quem invoque teu nome, quem se levante para encontrar-se contigo; escondeste de nós tua face e nos entregaste à mercê da nossa maldade. Assim mesmo, Senhor, tu és nosso pai, nós somos barro; tu, nosso oleiro, e nós todos, obra de tuas mãos.

2. SALMO 79

Convertei-nos para que sejamos salvos

(Antífona): Iluminai a vossa face sobre nós, convertei-nos, para que sejamos salvos!

Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós que sobre os querubins vos assentais, aparecei cheio de glória e esplendor! Despertai vosso poder, ó nosso Deus e vinde logo nos trazer a salvação!

Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a! Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes!

Pousai a mão por sobre o vosso protegido, o filho do homem que escolhestes para vós! E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome!

3. SEGUNDA LEITURA DA MISSA (1ª CORÍNTIOS 1, 3-9)

Os dons do Espírito Santo

Irmãos: Para vós, graça e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Dou graças a Deus sempre a vosso respeito, por causa da graça que Deus vos concedeu em Cristo Jesus: Nele fostes enriquecidos em tudo, em toda palavra e em todo conhecimento, à medida que o testemunho sobre Cristo se confirmou entre vós. Assim, não tendes falta de nenhum dom, vós que aguardais a revelação do Senhor nosso, Jesus Cristo. É ele também que vos dará perseverança em vosso procedimento irrepreensível, até ao fim, até ao dia de nosso Senhor, Jesus Cristo. Deus é fiel; por ele fostes chamados à comunhão com seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso.

4. EVANGELHO (SÃO MARCOS 13, 33-37)

Vigiai! Não sabeis quando o Filho voltará

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento. É como um homem que, ao partir para o estrangeiro, deixou sua casa sob a responsabilidade de seus empregados, distribuindo a cada um sua tarefa. E mandou o porteiro ficar vigiando. Vigiai, portanto, porque não sabeis quando o dono da casa vem: à tarde, à meia-noite, de madrugada ou ao amanhecer. Para que não suceda que, vindo de repente, ele vos encontre dormindo. O que vos digo, digo a todos: Vigiai!”

 

COMENTÁRIO DE SCOTT HAHN

O novo ano da Igreja começa com um pedido para que Deus nos visite: “Ah! se rompesses os céus e descesses!”, clama o profeta Isaías na primeira leitura no domingo.

Também no salmo de hoje ouvimos a voz angustiada de Israel, implorando a Deus que olhe para baixo do seu trono celestial, para salvar e pastorear seu povo.

As leituras desta semana são relativamente breves. Sua linguagem e “mensagem” são aparentemente simples. Mas devemos notar o tom grave e o aspecto penitencial da Liturgia de hoje, nos quais o povo de Israel reconhece a sua pecaminosidade, sua dificuldade de manter a aliança com Deus, sua incapacidade de se salvar.

E nós, neste Tempo do Advento, também devemos ver nossa própria vida pessoal através da experiência de Israel. Ao examinar nossa consciência, não percebemos muitas vezes que endurecemos nosso coração, rejeitamos a lei de Deus, nos distanciamos de seus caminhos, refreamos nosso amor?

“Deus é fiel”, lembra-nos São Paulo na epístola desta semana. Ele é o nosso Pai. Ele ouviu o grito de seus filhos e desceu do céu para o bem de Israel e para o nosso bem, para nos resgatar de nosso exílio de Deus, para nos restaurar em seu amor.

Em Jesus vimos o Pai (João 14,8-9). O Pai fez brilhar o seu rosto sobre nós. Ele é o bom pastor (v. João 10, 11-15) que veio para nos guiar até o reino celestial. Não importa que tenhamos nos desviado para muito longe: Ele nos dará uma nova vida se voltarmos para Ele, se implorarmos ao Seu santo Nome, se prometermos que nunca mais nos afastaremos Dele.

Como diz São Paulo nesta semana, Ele nos deu os dons espirituais necessários – sobretudo a Eucaristia e o sacramento da Penitência – para nos fortalecer enquanto aguardamos a última vinda de Cristo. Ele nos manterá firmes até o fim, se permitirmos.

Portanto, neste tempo de arrependimento, devemos prestar atenção à advertência que nosso Senhor repete três vezes no Evangelho desta semana: vigiar, pois não sabemos a hora em que retornará o Dono da casa.

https://stpaulcenter.com/velen-por-su-llegada-scott-hahn-refleja-sobre-el-1er-domingo-de-adviento/

https://stpaulcenter.com/watch-for-him-scott-hahn-reflects-on-the-first-sunday-of-advent/