Aqueles que freqüentam serviços religiosos, pelo menos uma vez por semana, têm um menor risco de suicídio, em comparação com aqueles que não participam, ou o fazem com uma freqüência muito distante no tempo. É a conclusão de um estudo realizado com 89.708 mulheres nos Estados Unidos, liderada por pesquisadores da Escola de Saúde Pública T.H. Chan da Universidade de Harvard, publicado no dia 29 de junho de 2017 na revista científica JAMA Psychiatry.

Os resultados sugerem que participar de serviços religiosos comunitários — como a missa, por exemplo — é um fator de maior proteção do que viver sozinho uma espiritualidade religiosa, observa Tyler Vander Weele, professor de epidemiologia da Universidade de Harvard que comandou a pesquisa. “Entre os benefícios resultantes, participar de serviços religiosos aumenta o apoio social, diminui a depressão e ajuda as pessoas a desenvolver uma visão mais otimista ou esperançosa da vida”, disse o pesquisador ao portal de notícias da Universidade de Harvard.

Fé em Cristo, determinante

Os pesquisadores confirmam que, em comparação com aqueles que nunca freqüentam serviços religiosos, ou o fazem muito pouco, os que freqüentaram missa pelo menos uma vez por semana, tiveram um risco cinco vezes menor de cometer suicídio durante o período estudado.

A maioria das 89.708 mulheres avaliadas, em acompanhamento de 1996 até 2010, eram católicas ou protestantes. Destas, 17.028 participaram do serviço religioso mais de uma vez por semana, 36.488 foram uma vez por semana, 14.548 frequentavam menos de uma vez por semana e 21.644 nunca participaram de nenhum serviço religioso.

Os autores observaram que a pesquisa utilizou dados de observação e o que foi declarado pelos que participaram do estudo. Não consideraram fatores emocionais, como impulsividade ou sentimentos de desesperança.

Ainda que os responsáveis pela pesquisa não pretendam recomendar aos médicos que receitem a participação em determinados serviços religiosos, o estudo permite afirmar que “a religião e a espiritualidade podem ser um recurso, ainda não devidamente considerado, que os psiquiatras e os médicos devem explorar com seus pacientes”.

Melhores resultados com a Eucaristia

Este estudo tornou-se público somente dois meses depois que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA documentaram um aumento significativo nas taxas de suicídio nos Estados Unidos entre 1994 e 2014. O suicídio aumentou tanto em homens como em mulheres, em todas as faixas etárias, dos 10 aos 74 anos. Embora as mulheres ainda sejam muito menos propensas do que os homens para o suicídio, os CDC descobriram que essa diferença diminui. De 1999 a 2014, a taxa de suicídio aumentou em 80% nas mulheres entre 45 e 64 anos, idade em que são mais propensas a tirar a própria vida.

O Dr. Aaron Kheriaty, professor associado de psiquiatria da Universidade da Califórnia, em Irvine, que não fazia parte da equipe da pesquisa, valorizou o estudo de Harvard. “Essas descobertas”, diz ele, “reforçam a certeza do vínculo entre a prática religiosa e a saúde mental, explorada pelo sociólogo Emile Durkheim já em 1897.” [O sociólogo francês, num trabalho de 1897, Suicídio, atribuía as taxas mais baixas de suicídio entre católicos pela sua maior integração religiosa e menor autonomia individual nas crenças.]

Kheriaty, co-autor do livro The Catholic Guide to Depression, disse ao Los Angeles Times que os números dos pesquisadores de Harvard mostram os melhores resultados (menor taxa de suicídio) para aqueles que se declaram católicos e que participam da Eucaristia. “As crenças e práticas religiosas podem ajudar as pessoas a desenvolver o sentimento de esperança, mesmo em meio a grandes crises ou adversidades”, continuou Kheriaty. E acrescentou: “A fé religiosa pode ajudar as pessoas a encontrar sentido — sentido e propósito — mesmo no sofrimento”.

Aaron Kheriaty, no prefácio de seu livro, afirma que a cura “só pode vir quando as descobertas legítimas da psicologia e da farmacologia modernas se associam com direção espiritual e sacramentos, sempre prestando especial atenção à sabedoria dos Padres da Igreja e dos santos”.

[Artigo original publicado em https://infovaticana.com/2016/07/09/estudio-confirma-acudir-misa-buen-remedio-prevenir-la-depresion-suicidio/]

Links para os artigos científicos mencionados, publicados pela revista científica JAMA Psychiatry:

https://jamanetwork.com/journals/jamapsychiatry/fullarticle/2529152

https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2521827